O vírus que já deixou pelo menos 17 mortos na China e está se espalhando rapidamente nos últimos dias pelo País asiático chegou aos Estados Unidos, segundo informações do CDC – Centers for Disease Control and Prevention nesta terça-feira (21).

Nos Estados Unidos, o paciente foi localizado no Estado de Washington. Segundo as autoridades de saúde, o vírus é mais comum em animais e a mutação e transmissão entre humanas era mais rara. O homem teria viajando para a China e trouxe o vírus, antes que os aeroportos tomassem as precauções.

Casos da doença também foram reportados no Japão, Tailândia e Coreia do Sul.

Para evitar que a doença se espalhe nos EUA, os aeroportos de New York, San Francisco e Los Angeles estão checando cada paciente que chega da Ásia. Os screenings também serão feitos nos aeroportos de Chicago e Atlanta.

Mundo em alerta

China e países próximos estão adotando medidas para conter a nova pneumonia que atinge o país, oriunda da região central, no momento em que milhões de chineses começam a viajar, por ocasião das férias do Ano Novo Lunar, ameaçando estender a doença..

A ansiedade aumentou depois de o especialista do governo chinês Zhong Nanshan ter revelado que o novo tipo de coronavírus, que causa infeções respiratórias em seres humanos e animais, é transmissível entre seres humanos.

Até agora, as autoridades diziam que não havia evidências de que fosse transmissível.

Dezessete pessoas morreram e mais de 200 foram infectadas desde que o vírus foi inicialmente detectado, no mês passado, em Wuhan, um cidade do centro da China, que é também um importante centro de transporte doméstico e internacional.

Esta semana foram diagnosticados novos casos em Pequim, Xangai e Shenzhen, que faz fronteira com Hong Kong. Todos os pacientes visitaram Wuhan recentemente.

Fora da China, quatro casos do novo coronavírus foram confirmados entre viajantes chineses – na Coreia do Sul, Japão e Tailândia, todos oriundos de Wuhan.

Os casos aumentaram o receio de epidemia, semelhante à pneumonia atípica, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que entre 2002 e 2003 matou 650 pessoas na China continental e em Hong Kong.

Em Macau, as autoridades anunciaram que vão verificar individualmente os passageiros provenientes de Wuhan, “por via aérea, marítima ou terrestre”. (Com informações da ABC e Agência Brasil)