2:06 am - Segunda-feira Agosto 19, 2019

Tristeza e Alegria Judaica

237 Viewed
Photo by Amos BenGershom / Government Press Office

Yom Hazikaron

Este é um dos dias mais tristes dentro da cultura de Israel, junto com o Dia do Holocausto e o dia da queda de Jerusalém, o Tishá b’Av, neste dia, é grande a influência do luto pois neste dia, as 20:00 soa a sirene que dá início ao Dia do Memorial, ou seja, Yom Hazikaron. Yom Hazikaron ou Dia da Memória (em hebraico : יום הזכרון לחללי מערכות ישראל ונפגעי פעולות האיבה, lit. Dia da Lembrança dos Soldados Mortos de Israel e das Vítimas do Terrorismo) é um feriado nacional de Israel. Yom Hazikaron é observado no dia 4 de Iyar no calendário hebraico e precede a comemoração do dia da Independência de Israel ou Yom Ha’atzma’ut, que ocorre no dia 5 de Iyar .

Neste feriado relembra-se os veteranos e soldados mortos do Estado de Israel e da Força de Defesa de Israel que morreram no conflito arábe-israelense, além de relembrar das vítimas do terrorismo.

O dia inclui muitas cerimonias em respeito aos soldados mortos em que soldados veteranos estao sempre presentes. O dia abre com cerimonias as 20:00 apos uma sirene de um minuto que e ouvida em todo o Pais. Durante a sirene todos os Israelis ficam de pe em silencio em respeito e memoria.

Uma sirene de dois minutos e escutada as 11:00 da manha seguinte a qual marca a abertura oficial das cerimonias de memoria aos soldados que morreram em servico, em todos os cemiterios do Pais em que haja soldados enterrados. O dia termina com a cerimonia de encerramento do Dia da Lembranca as 20:00 no Monte Herzl, na cidade de Jerusalem, onde as bandeiras do Estado de Israel ficam a meio-mastro.

Durante o Tekes, ou seja, a cerimônia, estão presentes o Primeiro Ministro de Israel, o Ramat Kal, ou seja, o Comandante Geral das Forças de Defesa de Israel, o Presidente e Parlamentares além de celebridades e parentes das vítimas além de um grande corpo de soldados que participam do evento que é transmitido em cadeia nacional.

Durante a manhã e a tarde seguinte, milhares de parentes das vítimas vão velar seus perdidos em combates e atentados no cemítérios de Israel, e ao final da Tarde, começo da noite(ou seja um novo dia em Israel), após as 20:00 hs se inicia o dia da Independência de Israel.

Dentro da sociedade israelense há um constante clamor por parte de muitos na sociedade que pedem para separar estes dois dias por causa da dificuldade que há de passar do luto para as comemorações, fato que muitos reclamam como sendo incompreencível e transtornador.

Em menos de 24 horas, em Israel, passa-se do dia mais triste(dia do memorial) da história moderna do país para o dia mais feliz(dia da independência).

Yom Haatzmaut

Yom Ha’atzmaut ( hebraico : יום העצמאות yom ha-‘aṣmā’ūṯ; árabe : الإستقلال ‘Id al-عيد Istiqlal) é o Dia da Independência de Israel, que comemora sua declaração de independência no ano 1948.

Comemorado anualmente no dia 5 do mês judaico de Iyar, que gira em torno da declaração do estado de Israel por David Ben Gurion, o primeiro chefe de estado, em Tel Aviv no dia 14 de maio de 1948( 5 Iyar, ano de 5708 ), e marca também o fim do Mandato Britânico da Palestina.

É sempre precedido pelo Yom Hazikaron, que lembra a memória dos soldados israelenses e das vítimas do terrorismo no dia 4 de Iyar.

Uma cerimônia oficial é realizada a cada ano no Monte Herzl em Jerusalém, na noite de Yom Ha’atzmaut. A cerimônia inclui um discurso do presidente do Knesset (o Parlamento israelense), uma apresentação dramática, uma marcha de soldados carregando bandeiras de Israel , formando estruturas elaboradas (como Menorah , Magen David e um número que representa a idade de Israel) e da acender de doze tochas (uma para cada uma das Tribos de Israel).

Todos os anos uma dezena de cidadãos israelenses que fizeram uma grande contribuição social em uma área selecionada, são convidados acender as tochas em cadeia nacional.

Outros eventos tradicionais do Yom Ha’atzmaut:

  • O Concurso Internacional de Bíblia
  • Cerimônia do Prêmio Israel
  • Apresentações militares aéreas
  • Visitação a bases militares

Os rituais específicos envolvidos na observância deste dia vem se desenvolvendo:

O Rabino Chefe juntamente com outras autoridades religiosas declararam que Yom Ha’atzmaut é um dos feriados judaicos em que Hallel(cântico de louvor) deve ser dito.

O movimento religioso sionista criou uma liturgia para o feriado, o que por sua vezes inclui a recitação de alguns salmos, a leitura de uma parte dos Profetas ( Haftará ), na manhã de feriado.

Um segmento do campo religioso sionista, semelhante ao movimento de reforma, tem promovido a inclusão de uma versão de Al Hanisim (sobre os milagres). Este segmento incluiu o Rav David Bar Hayim do Machon Shilo e do Instituto do Templo. O Movimento da Reforma também sugeriu que essa adição.

Outras mudanças para as orações diárias incluem recitando Hallel , dizendo que a expansão Pesukei D’Zimrah do Shabat (a mesma prática que é observada na quase universal Hoshaná Rabá ), e / ou tocar o Shofar.

O Rabino Joseph Soloveitchik, que pronunciou o Hallel neste dia, ainda questionou o imperativo Halachic em canonizar essas mudanças. O Movimento Conservador instituiu a leitura da Torah em parte do dia, bem como a inclusão de uma versão de Al Hanisim (para os milagres …), que normalmente é recitada em Chanucá e Purim. Alguns lugares também lê-se a Haftará em Isaías 10:32-12:6, que também é lido no último dia de Pessach.

Na véspera do feriado, as pessoas cantam e dançam nas ruas. Varandas são decoradas com bandeiras de Israel , e bandeiras colocadas nas janelas dos carros. Alguns deixam as bandeiras içadas até após Yom Yerushalayim(Dia de Jerusalém).

Alguns Hasidim e judeus ortodoxos recitam Hallel, enquanto outros não fazem mudanças em suas orações diárias.

Alguns cidadãos árabes de Israel celebram o Yom Ha’atzmaut mas outros consideram-no um dia trágico de sua história e chamam-no de Al-Nakba (“a catástrofe”). Os drusos comemoram a independência de Israel desde o início. O Dia da Independência também foi comemorado pelo beduínos e os circassianos de Israel.

Um dos dias mais importantes e felizes na nação de Israel

Exatamente em contraste e ao contrário do dia anterior, o Yom Hazikaron, no Yom Haatzmaut se comemora a Independência de Israel, após cerca de 2.000 anos de história, a nação judaica volta a ter a liberdade de cultuar em sua própria terra e de viver novamente uma vida de sociedade pluralista e tolerante em que a liberdade religiosa é garantida aos seus cidadões, principalmente aos judeus após o holocausto.

EUA e Coreia do Sul fazem exercícios militares após Coreia do Norte testar novo míssil

Presídio de Tremembé será vistoriado para que Espanha autorize extradição do padrasto de Joaquim

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of