Supermercados afirmam que ainda têm produtos disponíveis (Foto AcheiUSA)

Prateleiras de grandes supermercados estão vazias devido à crise do coronavírus, mas entidades do setor garantem que o abastecimento ainda não está comprometido; mercados brasileiros ainda têm carne, frutas, arroz e verduras

A pandemia do coronavírus está deixando as pessoas ansiosas, preocupadas e a corrida aos supermercados é inevitável diante de tantas incertezas. A Food Industry Associaton (FMI) e a the National Grocers Association (NGA) garantem que o abastecimento, ainda, não está comprometido. As empresas estão trabalhando dia e noite para garantir que não falte mercadoria nos mercados.

Mas por que as prateleiras estão vazias? Segundo especialistas do setor, o que está acontecendo é que, assim que as lojas abrem, as pessoas vão em busca de certos produtos, que acabam mais rápido, como arroz, carnes, leite e ovos, mas no outro dia todos os produtos já foram repostos.

“Nós queremos assegurar que os americanos saibam que estamos trabalhando dia e noite para que a cadeia de suprimentos não seja interrompida e que os consumidores tenham tudo o que precisam para atravessar este momento difícil e emergencial”, disse a CEO do FMI, Leslie Sarasin.

No Sul da Flórida, o centro de distribuição do Publix mobilizou dezenas de caminhões para reabastecer seus supermercados. Uma estratégia usada é limitar produtos em grande demanda como papel higiênico, água, álcool, lenços de papel e lenços umedecidos de limpeza.

A rede de supermercados Winn-Dixie tem 50 lojas na Flórida e afirma que não teve ainda nenhuma interrupção no fornecimento de mercadorias. Mesmo caso do Walmart e Costco, que têm adotado medidas para evitar aglomerações e têm restringido a quantidade de mercadorias.

Mercados brasileiros

Os supermercados brasileiros no Sul da Flórida também estão trabalhando dia e noite para conseguir atender a demanda. De acordo com o proprietário do supermercado Rio’s, localizado na Federal Highway em Lighthouse Point, eles têm arroz, carnes, frutas e verduras. “Podem vir porque ainda não estamos com nada em falta”, garante Sandro Lorenzi.

Alberto Benedito do Seabra Foods, que tem lojas em Pompano Beach, Orlando e em Parkland, afirma que a demanda está muito grande e os produtos têm saído muito rapidamente, mas que eles contrataram novos distribuidores para atender a demanda. “Estamos contratando novos distribuidores para atender à demanda. Alguns produtos acabam rapidamente e estamos trabalhando para repor o estoque o mais rápido possível. Estamos mantendo o horário regular da loja para melhor atender nossa comunidade”.

Alberto ressalta que eles estão tomando todas as medidas de higienização necessárias e seguindo todas as recomendações do governo americano sobre o assunto.