10:04 am - Quinta-feira Agosto 22, 2019

Pais ausentes, Filhos carentes!

862 Viewed

por Bianca Welikson,

Que não basta ser pai e que tem que participar, isso já sabemos há muito tempo. A pergunta mesmo é: como participar?

Não é somente o excesso de trabalho que faz com que os pais se distanciem da educação de seus filhos. Pais com tempo sobrando também podem ser ausentes a partir do momento em que deixam de ser emocionalmente disponíveis. Em outras palavras, o distanciamento físico não é o único fator que determina a ausência, a disponibilidade emocional também.

É importante ter vontade de participar, de ensinar e de saber o que se passa na vida do filho, sem “terceirizar” suas responsabilidades.

A autoestima da criança é construída com base nas informações que recebe de seus cuidadores na infância. Ela tem a necessidade de ser acolhida, de ter atenção, de ser estimulada pelo seu responsável. Quando os pais ou responsáveis não o fazem ou quando “terceirizam” suas responsabilidades, deixam marcas profundas. Uma lacuna fica vazia e essa criança cresce com sentimentos de menos valia. Transformam-se em adultos inseguros e sem autoconfiança, com dificuldades enormes em seus relacionamentos sociais. Podem, na fase adolescente e adulta, tentar desesperadamente preencher este vazio com bens materiais, drogas e álcool ou podem até se tornar dependentes afetivamente de outras pessoas.

Dar disciplina é também uma forma de demonstrar carinho e afeto. A disciplina gera segurança e dá base para o desenvolvimento saudável da criança. Os pais e cuidadores têm a oportunidade de ensinar os limites dentro do núcleo familiar com o devido amor e carinho. Caso isso não aconteça, o filho vai aprender esses limites no mundo afora. A diferença está na forma com que ele irá aprender. O mundo, definitivamente, não ensinará com a paciência e o amor que a família pode proporcionar.

Ensinar dá trabalho. E muito! E por isso é preciso paciência e vontade por parte dos pais e cuidadores. Se você tem dificuldade em estar presente na vida de seus filhos, administre melhor seu tempo. Prefira qualidade à quantidade.

Estar perto não é necessariamente estar presente. Faça carinho, pegue no colo, beije e abrace, brinque. Se não puder estar presente, justifique, converse, deixe bilhetes, telefone durante o dia, converse sobre a rotina dele, dê limites, monitore suas atividades.

E lembre-se: a maior herança que você pode deixar são seus ensinamentos, pois ninguém pode levá-los embora. Ensine ao seu filho o valor que ele tem e ninguém poderá tirar isso dele.

Bianca Welikson

Psicologa e Psicopedagoga at Nossa Terapia
Em 2008 graduou em Psicologia pela PUC do Rio de Janeiro. Em 2015 pós graduou em Psicopedagogia Institucional e Educação Especial. Ministra cursos na área de mediação escolar e consultorias psicopedagógicas pela American Jewish College de Nova Iorque, além de ter seu consultório virtual no www.Nossa Terapia.com
Bianca Welikson

Geração sem limites: O caminho para infelicidade

Lançada por Gil e Brites, música conta história de quem deixa o Brasil e se aventura no mundo

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of