Ilustração: Marcus Coltro

O número de mortes pela doença já chega a 3.405 e 41.065 casos; China teve 3.200 mortes

A pandemia de coronavírus matou 475 pessoas na Itália nas últimas 24 horas, o pior balanço registrado em um país em um dia, anunciou nesta quarta-feira a proteção civil. O número de mortos no país europeu já passou a China onde a pandemia se originou. O número de mortes pela doença já chega a 3.405 na Itália e 41.065 casos, a China teve 3.242 mortes.

Na Universidade de Gênova (norte), uma equipe de especialistas em contágio e ciência da computação desenvolveu um modelo que, segundo eles, até agora demonstrou sua confiabilidade na evolução do Covid-19, “com uma margem de erro aceitável”.

O modelo prevê que, em termos de novos casos diários, o pico da epidemia na Itália será entre 23 e 25 de março, embora a altura desse ponto e sua subsequente evolução dependam do comportamento dos italianos.

Ao decretar na noite de 11 de março o confinamento total do país até 25 de março, o chefe de governo Giuseppe Conte havia estimado em “duas semanas” o tempo necessário para que as medidas mostrassem um primeiro resultado.

“Atingir o pico não significa que saímos da emergência, mas apenas que a epidemia começou a desacelerar e que, alguns dias depois, atingiremos o ponto de saturação das unidades de terapia intensiva, com desequilíbrios regionais significativos”, explica Flavio Tonelli, professor de simulação de sistemas complexos da Universidade de Gênova, que participou da elaboração do algoritmo.

 

(Com agências de notícias)