Às 9h30, de 21 de abril de 1960, no Salão de Despachos do Palácio do Planalto, cercado por seus ministros e embaixadores especiais, o presidente Juscelino Kubitschek declarou inaugurada a cidade de Brasília, Capital do Brasil, centro das futuras decisões políticas. No mesmo instante, o Poder Legislativo e Judiciário confirmaram a inauguração do Distrito Federal.

No momento da inauguração, a cidade não estava totalmente concluída, mas já dispunha de condições mínimas para ser a sede do governo. Ainda havia muito a ser feito, poucos prédios estavam prontos, mas o ato marcou, simbolicamente, a transferência da capital.

Juscelino Kubitschek

O novo centro do governo brasileiro causou surpresa nas pessoas que para lá rumaram com o objetivo de acompanhar aquele momento histórico. A cidade era realmente única, respirava ares de modernidade. Os brasileiros não estavam acostumados a ver edifícios tão grandiosos e diferentes, alguns arredondados, com formas curvas e outros que pareciam flutuar na água. A construção de Brasília em menos de cinco anos foi a marca registrada do governo Juscelino Kubitschek. A transferência da capital enfrentou enorme resistência, especialmente da oposição da UDN, comandada por Carlos Lacerda. Foi decisiva para que o Brasil deixasse de ser uma “civilização de caranguejos”, na qual quase toda a população concentrava-se no litoral, e se procedesse à ocupação do interior do País.

Força Aérea Brasileira na inauguração de Brasilia