11:15 pm - Segunda-feira Junho 17, 2019

7 dicas para construção da autoestima da criança na primeira infância

432 Viewed

Após muitos anos me dedicando ao desenvolvimento infantil e acompanhando inúmeras famílias, percebi a importância de falar sobre a construção da autoestima da criança durante a sua infância.

Educar dá trabalho. E muito!

Estar atento à autoestima e à formação do caráter da criança desde o início de sua vida contribui para o seu desenvolvimento intelectual e emocional.

Separei 7 dicas que considero serem de suma importância para tal:

1 – Tempo de qualidade

A criança precisa sentir que ela importa e ter atenção dos seus pais e/ou cuidadores, fornece à ela o sentimento de pertencimento ao núcleo familiar, fator fundamental para a construção de sua segurança e autoconfiança. Se você não tem tempo para estar junto fisicamente, ligue, mande mensagens, deixe bilhetes e desenhos, monitore suas atividades ao longo do dia. Faça questão de mostrar à ela que você se importa com a sua rotina.

2-Demonstração de afeto

Receber afeto é outro fator fundamental. Segure no colo, beije, abrace, diga que ama. Afeto é acalento para a alma, além de ser um potencial formador da autoestima da criança.

3- Clareza e objetividade

A criança precisa receber comandos claros e objetivos para sentir segurança no núcleo familiar no qual está inserida. Entender que os pais e/ou cuidadores são os orientadores do sistema familiar favorece o desenvolvimento do senso de segurança da criança.

4- Regras

As regras precisam ser previamente estabelecidas pois um ambiente regrado favorece o processo autorregulatório da criança. Quando o limite é claro, gradativamente a criança aprende até onde pode testar. Regras bem definidas facilitam a internalização das normas sociais.

5- Linguagem única

Pais e/ou cuidadores precisam estar em comum acordo quanto à educação dos filhos, pois quando as orientações são discrepantes geram instabilidade emocional. A criança fica confusa quanto aos comandos e as regras e não sabe a quem obedecer. Ter uma linguagem uníssona é de extrema importância para a saúde emocional da criança.

6- Direitos e deveres

Acredito que a melhor forma de educar é ensinar que as atitudes tem consequências. Quando a criança não cumpre com os combinados, perder o direito de utilizar um brinquedo ou objeto de sua preferência, é uma excelente ferramenta para este aprendizado.

7- Estimule a enfrentar os desafios

O último ponto é estimular que a criança enfrente os seus próprios desafios ao invés de supervalorizar cada feito dela. É claro que o elogio é fundamental, mas encarar todos as condutas como “superpositivas” não estimula o crescimento. Faz parte do amadurecimento humano compreender que nem sempre  acertamos e, às vezes, é necessário se esforçar para superar um obstáculo. Ser estimulada a enfrentar os seus desafios significa enxergar nas suas dificuldades uma oportunidade de crescimento. Se o seu filho (a) tem alguma dificuldade seja na escola ou na família, ensine-o (a) a encarar o problema de frente, estimulando a enfrentar seus próprios desafios.

Bianca Welikson

Psicologa e Psicopedagoga at Nossa Terapia
Em 2008 graduou em Psicologia pela PUC do Rio de Janeiro. Em 2015 pós graduou em Psicopedagogia Institucional e Educação Especial. Ministra cursos na área de mediação escolar e consultorias psicopedagógicas pela American Jewish College de Nova Iorque, além de ter seu consultório virtual no www.Nossa Terapia.com
Bianca Welikson

Energy Fitness and Gymnastics faz a diferença na vida dos jovens

Brazilian Student Association at USF apresenta a maior conferência de estudantes brasileiros na Flórida

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of